NO AR!

Toca Brasil 1ª E...

Volmar Amaral

Peça seu sucesso!

OUÇA AGORA!

Hoje, 19 de Agosto de 2017

Marido é preso quatro dias após confessar à Polícia Civil assassinato da mulher em Biguaçu

12 de Agosto de 2017 20:15

Segundo o delegado, Justiça acatou pedido de prisão preventiva na sexta (11). Crime ocorreu no domingo (6).

Um homem de 32 anos foi preso na sexta-feira (11) após a Justiça acatar o pedido de prisão preventiva dele. Ele confessou à Polícia Civil na segunda-feira (7) que matou a mulher, na frente das filhas, em Biguaçu, na Grande Florianópolis, no domingo (6). A motivação seria ciúmes.
Segundo o delegado Cristiano Sousa, na segunda-feira não foi possível prendê-lo, mesmo após a confissão, por não se enquadrar em situação de flagrante. "No decorrer da semana, dando prioridade absoluta ao caso, instruímos o inquérito e representamos pela prisão preventiva dele", disse Sousa.
O pedido foi deferido pela Justiça no final da tarde de sexta-feira e "imediatamente cumprimos o mandado de prisão", reforça o delegado.
As duas crianças, de 3 e 16 anos, que presenciaram o crime, estão acolhidas na casa de uma amiga da família, completou o delegado. A mais nova é filha do suspeito e a mais velha, de um relacionamento anterior da vítima.
Ainda na terça-feira, em sessão na Assembleia Legislativa, duas deputadas estaduais informaram que articulavam com a Defensoria Pública e o Ministério Público medidas protetivas para duas crianças. A deputada Ana Paula Lima (PT) chegou a afirmar que "as meninas pediram proteção na delegacia local, mas lhes foi negada".
Conforme o delegado Cristiano, uma advogada o procurou na delegacia e "amistosamente" foi falado sobre as medidas protetivas. Ele informou que a prisão "o mais rápido possível" era a melhor medida protetiva.
"As testemunhas foram unânimes em dizer que após o crime ele não mais se aproximou ou foi visto na região. A prisão é a medida cautelar mais gravosa, de maneira que substitui qualquer outra medida cautelar ou protetiva", contra-argumenta o delegado.

Crime
O crime ocorreu na residência do casal, no bairro Bom Viver. O homem teria dado ao menos quatro facadas na mulher, que não resistiu aos ferimentos e morreu no local.
De acordo com o delegado, o marido e a vítima estiveram em uma festa na madrugada de domingo, onde ingeriram bebida alcoólica em excesso. Houve desentendimento pela manhã e, em seguida, o crime. "A arma que ele [suspeito] descreveu tem as mesma características da que foi apreendida", disse o delegado.

Fonte: G1 SC

Recomendar correção

CORREÇÕES

voltar